Laringe

Refluxo Faringolaríngeo

O refluxo gastro-esofágico (RGE) é uma patologia decorrente da falha anatômica e/ou funcional dos mecanismos de contenção do conteúdo gástrico no estômago. O RGE e o refluxo laringo-faríngeo (RLF) são, respectivamente, trânsito do conteúdo gástrico para dentro do esôfago e deste para as áreas laríngea e faríngea.

Dentre os sintomas destacam-se:  rouquidão, pigarro, tosse seca, ardência e irritação na garganta, dor e dificuldade ao deglutir. Faringites e laringites têm sido rotineiramente relacionadas ao refluxo laringofaríngeo. Mulheres, homens e crianças podem apresentar esse transtorno. Obesos e mulheres grávidas são mais suscetíveis por causa do aumento da pressão abdominal. Em lactentes poderá haver vômitos repetidos, tosse, geralmente seca, e outros problemas respiratórios como dor de garganta e otites.

O refluxo pode ser causado por hipersecreção gástrica (excesso de produção de suco gástrico no estômago), incompetência do esfíncter esofagiano inferior (espécie de anel muscular que separa o estômago do esôfago, impedindo que o alimento em processo de digestão no estômago retorne para o esôfago), dietas e hábitos alimentares inadequados como refeições volumosas antes de deitar, e também predisposição genética.

Suspeita-se da patologia em pacientes  com queixa de sensação de bolo na garganta, "pigarro que não sai" e tosse seca. É comum o relato de início dos sintomas um episódio de gripe ou resfriado. O diagnóstico é feito através de um exame chamado videofaringolaringoscopia, que detecta uma laringite (inflamação na laringe) crônica secundária ao refluxo. O tratamento é realizado através  de medicamentos que reduzem a produção do suco gástrico, orientações dietéticas e mudanças comportamentais.