Ronco e Apneia do Sono

Ronco e Apnéia do Sono

O ronco noturno é um sintoma bastante comum em todas as faixas etárias. Embora não se constitua um problema para a saúde, o ronco pode ser um aviso de que algo não vai bem, além de incomodar a quem dorme por perto.

Quando inspiramos, o ar entra pelo nariz, passando pela faringe, laringe, traquéia, finalmente chegando aos pulmões, onde ocorre a troca do oxigênio pelo gás carbônico.

Qualquer obstrução neste trajeto pode gerar um ruído respiratório. O ronco na maioria das vezes é resultado de uma obstrução ao nível da faringe, visto que este segmento do trajeto respiratório é o único que não possui um arcabouço rígido de osso ou cartilagem, sendo formado basicamente por músculos.

Com o agravamento do quadro obstrutivo na medida em que a doença evolui, passam a existir interrupções momentâneas da respiração, ditas apnéias do sono.

O que é a Apnéia do Sono?

A apnéia do sono é um distúrbio no qual a pessoa apresenta pausas (de 10s ou mais) na respiração durante o sono, podendo chegar a centenas de vezes numa noite.

Estas "paradas" são chamadas de apnéias. Originalmente, o termo apnéia significa a ausência de respiração. Ela é normalmente acompanhada pelo ronco, sintoma que serve sempre como um alerta de que a apnéia do sono pode estar acontecendo, pois na maioria das vezes os pacientes não se dão conta da doença.

O tipo mais comum de apnéia é a chamada Síndrome da Apnéia e Hipopnéia Obstrutiva do Sono (SAHOS), que ocorre por colabamento da via aérea durante o sono.

Quais são os sintomas?

Os adultos que sofrem da SAHOS nem sempre se dão conta dos breves e inúmeros despertares que acontecem durante a noite. Desta forma os sintomas podem sem vagos e mal estabelecidos como:

• Sonolência durante o dia
• Cefaléia matinal
• Irritabilidade e instabilidade emocional
• Roncos e pausas respiratória durante a noite
• Azia e queimação no estômago 

A SAHOS pode acometer até 2% das crianças e seus sintomas nesta idade costumam ser:

• Tempo de sono maior que o normal para idade
• Ronco (nem toda criança que ronca tem apnéia do sono)
• Esforço grande para respirar
• Alteração do comportamento sem causa aparente
• Dificuldade de segurar a urina a noite
• Cefaléia matinal
• Baixo ganho de peso e estatura 

O que causa a Apnéia do Sono?

Embora esta pergunta ainda estar longe de ser totalmente respondida, sabe-se que qualquer anormalidade estrutural da face, do crânio e da via aérea que causem algum grau de obstrução respiratória da via aérea superior, podem levar a SAHOS. Os locais mais comuns de obstrução são o palato, a base da língua e a rinofaringe mas outros pontos de obstrução também podem causar ou agravar os sintomas. Nas crianças a grande maioria dos quadros de SAHOS são decorrente do aumento das amígdalas e adenóides.

Obesidade

Existe uma forte relação entre a obesidade e a SAHOS. Especialmente a chamada obesidade viceral.  Estudos por imagem demonstraram que nos obesos existe um acúmulo anormal de gordura infiltrando as vizinhanças da garganta, mostrando um estreitamento da via aérea neste nível.

Especula-se que SAHOS também pode ser causa da obesidade uma vez que a sonolência e o cansaço excessivo levariam ao sedentarismo, inibindo a gasto calórico.

Tabagismo e ingestão alcoólica

O tabagismo pode aumentar em até 40 vezes o risco da ocorrência da SAHOS. Alguns estudos mostram uma incidência de até 50% de SAHOS em usuários de bebidas alcoólicas embora este resultados não tenha sido confirmados por outras pesquisas.

Refluxo Gastroesofágico e laringofaríngeo

Alguns estudos já demonstraram que a ocorrência de refluxo pode levar ao espasmo (fechamento) das pregas vocais durante a noite além de edema da via aérea, agravando ou causando apnéia.

A diabete e a síndrome do ovário policístico também têm forte relação com a SAHOS

Qual o risco da apnéia do sono?

• Acidentes de trânsito: Vários estudos mostram que a apnéia do sonos aumenta muito o risco de acidenes automobilísticos, possivelmente mais do que a ingestão alcoólica. Nos EUA acontecem cerca de 200 mil acidentes e 1500 mortes por ano em decorrência da sonolência resultante da SAHOS.
• Obesidade: Como dito acima, forma-se um círculo vicioso entre apnéia e obesidade não sendo possível em muitos casos saber o que apareceu primeiro
Doença cardíaca e circulatória (hipertensão, doença coronariana, infarto, derrame, insuficiência cardíaca): Vários estudos comprovam a relação da SAHOS com estas doenças.

Além destas, já se encontrou associação da SAHOS com hipertensão pulmonar, insuficiência renal, hipotiroidismo, doença hepática, epilepsia, dores de cabeça, irregularidade menstrual, complicações durante a gravidez, doenças oftalmológicas

Efeito sobre as emoções e o raciocínio

Alguns estudos clínicos mostraram que a sonolência causada pela SAHOS diminui o desempenho mental durante o aprendizado, por queda da atenção.

Pessoas mais velhas podem ter risco aumentado de depressão, outro experimento revelou a incidência de sintomas depressivos 32% dos paciente com SAHOS. Nas crianças já foi evidenciada forte relação entre a SAHOS e a hiperatividade.

Como se fazer o diagnóstico?

Frente a suspeita de uma doença do sono o primeiro passo deve ser uma consulta com um otorrinolaringologista.  A escala de Epworth pode ser usada para avaliar o grau de sonolência. Após a entrevista direcionada e o exame clínico, deverão ser realizados exames endoscópicos, tomografia computadorizada e a polissonografia, exame definitivo para o diagnóstico e graduação da gravidade da SAHOS.

Tratamento

O tratamento da SAHOS normalmente envolve mudanças no estilo de vida, medicamentos e eventualmente cirurgias.

• Mudanças nos estilo de vida
• Dormir de lado (bola de tênis costurada no pijama)  
• Perda de peso
• Evitar álcool e cigarro 

Medicamentos

O uso de medicamentos é normalmente indicado para tratar aquelas condições que podem predispor ou agravar a SAHOS, como a diabete, o refluxo e a rinite alérgica.

Vale lembrar que sedativos e soníferos podem agravar a SAHOS uma vez que diminuem o tônus muscular e propiciam uma maior obstrução da via aérea.

CPAP

O tratamento da SAHOS depende da gravidade da mesma. Nos casos mais graves e em que outras formas de tratamento não resolvem, pode estar indicado o uso do CPAP (continous positive airflow pressure, em inglês). Trata-se do mais efetivo meio de tratamento da SAHOS e compõe-se de uma aparelho que através de uma máscara adaptável, mantém uma pressão ventilatória. O dispositivo é normalmente posicionado na mesa de cabeceira e através de um tubo conecta-se a uma máscara que adapta-se ao nariz.

Benefícios do CPAP:

• Restauração do padrão normal do sono.
• Menos sonolência
• Menor ansiedade ou depressão
• Aumento de produtividade no trabalho
• Melhora da concentração e da memória
• Melhora na vida dos parceiros
• Diminuição no risco de acidentes 

O uso do CPAP requer adaptação e paciência pois o aparelho pode causar um incômodo no início além de ser necessários ajustes periódicos no aparelho.

Aparelho para Avanço Mandibular

Em casos de apnéia leve ou moderada pode-se lançar mão de aparelhos feitos por ortodondistas que posicionam a mandíbula mais a frente, diminuindo a obstrução e melhorando o sono.

É possível curar a SAHOS com cirurgia?

Muitos procedimentos cirúrgico têm sido desenvolvidos na tentativa de se tratar a SAHOS embora os resultados a longo prazo ainda sejam incertos.

A cirurgia mais conhecida e difundida é a Uvulopalatofaringoplastia que consiste na remodelação da palato e da úvula com eventual remoção da amígdalas. Embora este procedimento tenha um bom resultado no tratamento do ronco, sua eficácia sobre a SAHOS é duvidosa e dependente de cada caso. Recentemente, procedimentos cirúrgicos de maior porte, como o avanço maxilomandiular têm mostrado resultados promissores no tratamento da SAHOS grave.

Muitas vezes pode haver indicação de uma cirurgia nasal como a septoplastia, com o intuito de melhorar o ronco e facilitar uma eventual adaptação ao CPAP.

Nas crianças, a remoção das amígdalas e adenóides tem excelente resultado na cura da SAHOS na grande maioria dos casos.